LUIZ CESAR BALDO

Engenheiro Mecânico pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

 

Nascimento: 1952 

Nacionalidade: Brasileira 

Graduação: Engenheiro Mecânico pela Escola Politécnica da USP - 1980 

Pós-Graduação: pela EPUSP, na área de Engenharia Mecânica como aluno especial. 

Idioma: Inglês 

Experiência Profissional Anterior: 

  • 1981 - 1985 Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN/CNEN);
  • 1986 - 1987 C.Greco Engenharia;
  • 1988 - 1993 Coordenadoria de Projetos Especiais da Marinha (COPESP);
  • 1994 C.Greco Engenharia;
  • 1995 - 1998 Setal Engenharia;
  • 1999 C.Greco Engenharia;
  • 2000 - 2001 Air Liquide;
  • 2002 C.Greco Engenharia;
  • 2003 - FIGENER;

 

Trabalhou em diversos projetos associados ao processamento de urânio no IPEN - Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares da CNEN Comissão Nacional de EnergiaNuclear, e depois na COPESP – Coordenadoria para Projetos Especiais da Marinha, com destaque nos trabalhos de concepção, e operação da unidade de conversão do Yellow Cake em Hexafluoreto de Urânio.

Durante quatro anos na Setal Engenharia e Construções Ltda atuou no departamento de processos participando de projetos deplantas petroquímicas e de mineração bem como no desenvolvimento de software de simulação de dispersão atmosférica. Emdoze anos como engenheiro da C.Greco – Térmica e Fluidos Consultoria Ltda, esteve envolvido nos trabalhos de levantamentode dados, acompanhamento de montagens e posta em marcha de sistemas de combustão para fornos de cimento no Brasil e emoutros países. Na mesma empresa realizou estudos de modelagem matemática e simulação numérica de equipamentos o e/ouprocessos visando a redução do consumo de energéticos e/ou aumento de produção em diferentes setores da indústria:cimento, fertilizantes, mineração, papel e celulose e petroquímicas.

Na ABB Lummus Global (USA) atuou em projetos do departamento de processos, depois, na Air Liquide – Brasil S.A. foi responsável pelo departamento de projetos especiais, incluindo queimadores, sistemas de oxi-combustão, sistemas deinertização, de CO2 e de gás acetileno, entre outros, além do desenvolvimento e implantação de software para quantificação de produto criogënico em tanques.

Desde 2003 na FIGENER, tornou-se um dos sócios em 2008. Como coordenador de projetos, gerencia e executa estudos e projetos e acompanha a implantação e posta em marcha de equipamentos de combustão (queimadores, fornalhas, geradores degases quentes, etc.) e instalações industriais diversas (sistemas de despoeiramento e de lavagem de gases) notadamente nos setores: químico, petroquímico, mineração e metalurgia, fertilizantes, papel e celulose, farmacêutico e alimentício. Executa estudos de modelagem matemática e simulação numérica (de transitórios térmicos e hidráulicos) de processos e equipamentos industriais diversos visando aumento de eficiência energética e/ou aumento de produção.